googleads

08 junho 2016

Colesterol - Mocinho ou Vilão?


O colesterol isoladamente não tem nada de vilão, ele é essencial para a vida.                       Composto de gordura, substância transportada pelo plasma sanguíneo, encontrada nas membranas celulares dos tecidos do nosso corpo.Também existem pequenas quantidades de colesterol nas membranas celulares das plantas. Ele é um reagente necessário à biossíntese de vários hormônios, da vitamina D, do ácido biliar. A sua maior parte é sintetizada pelo próprio organismo (colesterol endógeno), nós produzimos todo o colesterol que precisamos. Parte complementar vem da ingestão de alimentos ricos em gordura (colesterol exógeno), uma pequena porção desses alimentos é suficiente para nos manter saudáveis. Imprescindível para a composíção estrutural das membranas celulares, necessário na formação de hormônios, é mais abundante nos tecidos que mais sintetizam ou têm membranas densamente agrupadas em maior número, como o fígado, a medula espinhal, o cérebro e as placas ateromatosas. Cerca de 20 à 25% da produção total diária (1 g/dia) de colesterol ocorrem no fígado. Outros locais de maior taxa de síntese incluem os intestinos, glândulas adrenais e órgãos reprodutivos.                                                                Em uma pessoa que pesa 70 kg, a quantidade total de colesterol é de 35 g. A produção interna típica diária (sintetizada pelo próprio organismo) é de cerca de 1 g e a ingesta (adquirida daquilo que ingerimos) é de cerca de 200 à 300 mg. Do colesterol liberado ao intestino com produção de bile 92 à 97% são reabsorvidos, reciclados via circulação entero-hepática (figado), a quantidade média de colesterol no sangue varia com a idade, tem um aumento gradual até a pessoa chegar aos 60 anos.                                                                 Ocorrem variações sazonais nos níveis de colesterol, aumentando nos dias frios. Os elementos presentes na fórmula química do colesterol são o carbono, oxigênio e o hidrogênio, na seguinte fórmula: C27H46O. Nome com origem no grego chole- (bile) e stereos (sólido) e o sufixo químico- ol (identifica como um álcool), o colesterol é um álcool integrante da fórmula de alguns lipídios. Os lipídios podem ser classificados em óleos (substâncias insaturadas) e em gorduras (substâncias saturadas) que são encontradas nos alimentos de origem animal e vegetal, como frutas ricas em gordura (abacate, côco), soja, carne, leite e derivados e a gema do ovo. ocorrem circunstâncias em que ele aparece mais concentado em certas regiões, como na vesícula biliar, o colesterol se cristaliza, é um dos principais constituintes da maioria das pedras na vesíscula biliar. O alto nível de colesterol no sangue tem uma pequena relação direta com a quantidade de colesterol existente na dieta. O aumento ou a diminuição do nível de colesterol tem maior relação com distúrbios do funcionamento do organismo no metabolismo do colesterol. Insolúvel em água, o colesterol não se dissolve no sangue (que é à base de água). Para ser transportado pela corrente sanguínea ele se liga à lipoproteínas - partículas esféricas que têm sua superfície exterior composta de proteínas solúveis em água (em sangue). Lipoproteínas são classificadas de acordo com sua densidade e as duas principais usadas para diagnóstico dos níveis de colesterol são: lipoproteínas de baixa densidade (Low Density Lipoproteíns ou LDL). O termo colesterol ruim ou colesterol mau se refere ao LDL, que apresenta ações danosas por exemplo formação de placas ateroscleróticas nos vasos sanguíneos chamados aretomas. Lipoproteínas de alta densidade (High Density Lipoproteins ou HDL), capazes de absorver os cristais de colesterol que estão começando ser depoitados nas paredes arteriais. O HDL retardam o processo aterosclerótico, o entupimento das artérias, por isso a associação com o termo colesterol bom. Sua principal função é de limpeza das células, retirar a gordura e ajudar o organismo a eliminá-la.                                                      Para finalizar, funções do colesterol são: Construir e manter as membranas celulares; Atuar como um importante antioxidante; Ajudar na fabricação da bile; Importante para o metabolismo das vitaminas lipossolúveis (incluindo as A, D, E, K); Principal precursor para a síntese de vitamina D e de vários hormônios esteróides (cortisol e aldosterona nas glândulas supra-renais, e os hormônios sexuais progesterona, estrógenos, testosterona e derivados.

Nenhum comentário: